.

VOCÊ NUNCA VIU TANTOS MOCINHOS JUNTOS!

 
 

 

..... ....

Página InicialArtigosPersonagens do FaroesteBúfalo Bill

 
...... .....

OS MELHORES FILMES DE FAROESTE

 

The Great Train Robbery

O gênero western foi praticamente fundado por um filme de Edwin S. Porter, The Great Train Robbery , de 1903. Em 1908, The Bank Robbery foi filmado em Oklahma, em cenários naturais. 
No mesmo ano, Gilbert Anderson fez um pequeno western chamado Bronco Billy and the Baby suas locações eram na Califórnia, o que lhe dava grande vantagem sobre as histórias de cowboys filmadas no leste. Com o sucesso do filme, Anderson fez outros filmes de Bronco Billy, mesmo mostrando pouco do verdadeiro western. 

Em 1911, Thomas H. Ince foi à Califórnia para superintender a produção da Bison, marca especializada em westerns, que chegou a construir cidades e ranchos do oeste. No próximo ano, Ince produziu o primeiro western de três rolos, Custer´s Last Fight , lançando Bill Hart em uma carreira cinematográfica. Hart tirou o western da obscuridade, contribuindo para a mitologia do gênero. 
          Entre seus principais filmes estão Hell´s Hinges , de 1916, The Narrow Trail , de 1917 e o épico O Rei do Deserto (Tumbleweeds, 1925).

Tumbleweeds
Cena do Filme Just Tony - 1922

Uma das maiores contribuições ao western foi a do diretor John Ford. Ele começõu como ator e dublê e passou à direção em 1917, em westerns curtos. Nessa década, intensificou-se a adaptação de romances de especialistas no gênero, como Rex Beach e Zane Grey, e diretores populares começaram a dar mais atenção ao western. Também nesta década, Tom Mix foi contratado pela Selig, e atuou em westerns fantasiosos e cheios de ação. Porém em filmes em que lhe foram confiados papéis mais sérios fracassaram; então ele voltou aos filmes com mais ação e o resultado foi a série de western de maior sucesso na história do cinema. Seus filmes mais importantes foram Just Tony , de 1922 e Descendo Abismos (Three Jumps Ahead, 1923). 

O épico Os Bandeirantes (The Covered Wagon, 1923), de James Cruze, abre o ciclo do western classe A. A produção de filmes no gênero triplicou e o maior sucesso foi The Iron Horse , em 1924, de John Ford, influenciando filmes sobre construção de estradas de ferro, como Aliança de Ouro (Union Pacific, 1939), de Cecil B. de Mille. Apesar desses sucessos, o western épico só se desenvolveu no cinema falado, mas vale citar o último western silencioso de John Ford, Three Bad Men , de 1926. 
O western psicológico foi representado no final da década de 20 por The Wind , de Victor Sjostrom, e o primeiro a aproveitar o som foi In Old Arizona , de Raoul Walsh. Outro importante foi Cimarron , de 1931, de Wesley Ruggles, que deu origem a uma série de filmes sobre o jovem casal que vai para o oeste e constitui família. Nessa época foi lançado o cowboy cantor Gene Autry, que acabou criando um novo gênero, com enredos de altos negócios, sequências em clubes e muitas canções. Mas o cowboy cantor de maior sucesso foi Roy Roger, lançado como astro em 1938, transformando-se em o Rei dos Cowboys. 

Filme The Iron Horse
1924
Cena do Fime Three Jumps Ahead - 1923

Somente a produtora Paramount continuou produzindo épicos, como Jornadas Heróicas (The Plainsman, 1936), de Cecil B. de Mille. O filme que despertou interesse dos grandes estúdios foi No Tempo das Diligências (Stagecoach, 1939), de John Ford, abrindo o ciclo de produções de grandes diretores e atores. 
          O filme Atire a Primeira Pedra (Destry Rides Again, 1939), de Howard Hughes, introduziu o erotismo ao western, seguido de O Proscrito (The Outlaw, 1943), de Haward Hawks; e Duel in the Sun , 1946, de King Vidor. Contudo, o tema que dominou o gênero nesse período foi dos bandidos célebres, cujo primeiro grande sucesso foi Jesse James , de 1939, de Henry King, que iniciou uma grande quantidade de adaptações da vida de bandoleiros famosos do oeste, como Billy the Kid, Belle Starr, Calimity Jane, os irmãos Dalton e Younger. 

Duel in The Sun
Sangue de Heróis
Rastro de Ódio

Uma Cidade que Surge (Dodge City, 1939), de Michael Curtiz, abre caminho para o tema "xerife que limpa a cidade infestada de bandidos", enquanto que Consciências Mortas (The Ox-Bow Incident, 1943), de William A. Wellman, sobre linchamentos, é o western de tese social. O drama psicológico penetra no oeste com Sua Única Saída (Pursued, 1947), e Golpe de Misericórdia (Colorado Territory, 1949), ambos de Raoul Walsh. Entre os westerns mais importantes da década estão os de John Ford, Sangue de Heróis (Fort Apache, 1947), O Céu Mandou Alguém (Three Godfathers, 1948) e A Legião Invencível (She Wore a Yellow Ribbon, 1949); Rio Vermelho (Red River, 1948), de Howard Hawks, e Céu Amarelo (Yellow Sky, 1949), de William A. Wellman. 
          Em 1950, Flechas de Fogo (Broken Arrow), de Delmer Daves, é o primeiro de uma série de filmes a apresentar o índio como herói, numa tentativa de análise social, como Assim são os Fortes (Across the Wild Missouri, 1951), de William A. Wellman. O épico é representado nesse período por Caravana de Bravos (Wagonmaster) e Rio Bravo (Rio Grande), ambos de John Ford. No campo psicológico, O Matador (The Gunfighter, 1950), de Henry King e Matar ou Morrer (High Moon, 1952), de Fred Zinemann. Outros westerns importantes dessa década foram Winchester 73 , de 1950, de Anthony Mann, Os Brutos Também Amam (Shane, 1953), de George Stevens; O Preço de um Homem (The Naked Spur, 1953), de Anthony Mann; Johnny Guitar , 1953, de Nicholas Ray; O Último Bravo (Apache, 1954), de Robert Aldrich; Rastros de Ódio (The Searchers, 1956), de John Ford; Sem Lei e Sem Alma (Gunfight at the O.K Curral, 1957), de John Sturges; e Onde Começa o Inferno (Rio Bravo, 1958), de Howard Hawks. 

No início dos anos 60, o western atravessa um período de transformação, como exemplo, Pistoleiros ao Entardecer (Guns in the Afternoon, 1961), de Sam Peckinpah, com uma reconsideração crítica da civilização norte-americana. Arthur Penn, com Um de Nós Morrerá (The Left-handed Gun, 1958), dá início a uma série de filmes que eliminaram do western suas convenções tradicionais. Filmes como Ride in the Whirlwind , de 1965, e The Shooting , 1965, de Sam Peckinpah e Monte Hellman, respectivamente, têm a preocupação de mostrar o oeste em sua realidade, destruindo a imagem de glamour. A comédia é usada como elemento crítico nos filmes Butch Cassidy e Sundance Kid , 1969, de George Hill; Revanche Selvagem The Scalphunters, 1968), de Sidney Pollack; A Morte não Manda Recado (The Ballad of Cable Hogue, 1970), de Sam Peckinpah; e Ninho de Cobras (There was a Crooked Man, 1970), de Joseph L. Mankiewicz. A violência é refletida no western nessa época em Meu Ódio Será Sua Herança (Wild Bunch, 1969), de Sam Peckinpah. Filmes como A Noite da Emboscada (The Stalking Moon, 1968), de Robert Mulligan, e Quando é Preciso Ser Homem (Soldier Blue, 1970), de Ralph Nelson, apresentam o índio como minoria oprimida. A enorme produção de westerns na Europa é incentiva por Por um Punhado de Dólares (Per un Pugno di Dollari, 1969), de Sergio Leone. 

Per un Pugno di Dollari

Pequeno Grande Homem
Sam Peckinpah Sergio Leone Clint Eastwood George Hill John Ford

Mesmo diante de alterações de costumes na década de 70, a produção de westerns continuou, destacando-se Roy Bean, O Homem da Lei (The Life and the Times of Judy Roy Bean, 1973), de John Houston; O Risco de uma Decisão (Bite the Bullet, 1974), de Richard Brooks; Justiceiro Implacável (Rooster Cogburn, 1976), de Stuart Millar; e O Cavaleiro Elétrico (Comes a Horseman, 1978), de Alan Pakula. 
           Na década de 90 o western recebeu dois filmes que ocupam lugar na lista dos principais de toda a história do cinema. Tratam-se de Dança com Lobos (Dances With Wolves, 1990), de Kevin Costner, e Os Imperdoáveis (Unforgiven, 1992), de Clint Eastwood, ambos ganhadores do Oscar de melhor filme. 

Dances With Wolves
Clic aqui para você ver a galeria de capas das fitas e dvds